Tinha que ser suado

A medalha de bronze veio a duras penas, com a correria de costume e na prorrogação. O time de basquete feminino da UnB precisou do tempo extra para derrotar a amazonense UniNorte por 53 a 49. O resultado não serve para o acesso à segunda divisão dos JUBs, mas a conquista motiva jovem equipe, que também disputa o campeonato brasiliense.

As medalhas serão entregues às jogadoras e ao técnico Joaquins Feitosa no refeitório dos atletas na AABB de Aracaju, sede administrativa dos JUBs 2014. A Secom/UnB faz os registros.

Texto: Hugo Costa

Handebol vence e conquista bronze

IMG_20141108_105914179_HDR

O time feminino da UnB venceu a Universidade Federal da Paraíba por 22 a 16 e garantiu a medalha de bronze na segunda divisão dos JUBs 2014. O resultado trouxe de volta o sorriso à equipe, que sofreu após a derrota na semifinal. “Claro que nosso objetivo era estar na final. Mas costumo dizer que o segundo colocado é o primeiro a perder, e o terceiro é o segundo a vencer. É legal conseguir uma medalha vencendo”, diz a pivô Isabella Vieira, uma das mais abaladas após o insucesso do dia anterior.

A equipe da UnB sofreu o primeiro gol na partida, mas só esteve atrás do placar nessa ocasião. A defesa funcionou bem e pode contar com intervenções importantíssimas da goleira Talita Lacerda. No ataque, o time estava afiado. Luana Rocha foi a mais precisa no primeiro tempo, e Luciana Saavedra acertou quase tudo no segundo.

Satisfeito com a entrega das jogadoras, o técnico Marcelo Marques disse que não foi difícil motivá-las para a luta pelo bronze. “Conversamos bastante ontem. Tínhamos a consciência de que a medalha era importante”, afirma.

Texto: Hugo Costa

Escapou por pouco

IMG_20141107_182108620

O time de handebol feminino da UnB foi derrotado pela Fasipe (MT) por 21 a 20. A partida válida pela semifinal da segunda divisão dos JUBs 2014 terminou no início da noite desta sexta-feira (7) no Ginásio do Colégio Purificação. Esse será um jogo difícil de esquecer. A equipe brasiliense esteve a maior parte do tempo na liderança do placar, mas levou a virada e não conseguiu a reação.

O primeiro tempo terminou com vantagem de um gol para a UnB (10 a 9). Na volta do intervalo, o time estava atento e chegou a ter vantagem de três gols no placar. A liderança confortável, no entanto, logo deu lugar ao empate, e a equipe de Mato Grosso ganhou confiança. A situação piorou após marcações controversas da arbitragem, que voltou atrás de um gol anulado para a Fasipe e excluiu por dois minutos a jogadora Luana Rocha da UnB por reclamação.

Ao fim do jogo, o abatimento das meninas da UnB era visível. Muitas choraram e o clima era de absoluta tristeza. “Tivemos falhas, principalmente no ataque. Mas perdemos nos detalhes”, avalia o técnico Marcelo Marques. Cabe a ele recuperar o ânimo do time para a disputa pelo bronze neste sábado (8). “Não vai ter descanso. Vamos nos reunir no hotel daqui a pouco e veremos vídeo do outro time”, afirma. A equipe da Universidade Federal da Paraíba será a adversária.

Texto: Hugo Costa

Joanna Maranhão leva brilho olímpico aos JUBs

Joanna Maranhão - CBDU

Os jogos universitários atraem atletas de todos os níveis e com aspirações bem distintas. Há os que sonham um dia disputar olimpíadas e há quem já esteve em mais de uma. É o caso da nadadora pernambucana Joanna Maranhão. Com medalhas em três jogos pan-americanos e participações nas Olimpíadas de Atenas e Pequim, a atleta representou a Uninassau, instituição privada de seu estado.

Como era de se esperar, a experiente nadadora venceu todas as provas que disputou. Foram quatro medalhas de ouro: nos 100m borboleta, 200m costa e 200 e 400m medley. A presença de Joanna atraiu olhares aos JUBs e repercutiu. Confira reportagens produzidas pela CBDUGlobo.com e Portal Terra.

Texto: Hugo Costa
Foto: Divulgação CBDU

Hora de se unir pela medalha

A sonhada final não veio, mas o basquete feminino da UnB ainda pode sair medalhista dos JUBs 2014. A equipe do técnico Joaquins Feitosa, o Major, enfrenta a UniNorte, do Amazonas, pelo terceiro lugar na terceira divisão dos jogos. “É claro que nossa vontade era ter chegado à final e conseguido o acesso. Agora temos que levantar a cabeça e buscar essa medalha de bronze, que é importante para o time e para a instituição”, afirma o treinador.

Mais do que um prêmio de consolação, a medalha pode dar uma injeção de ânimo ao jovem time. “Temos uma equipe guerreira, que ainda tem muito a evoluir”, avalia Major. Além das competições universitárias, o basquete feminino da UnB também disputa liga distrital do esporte.

Texto: Hugo Costa

Não foi por falta de garra

IMG_20141107_102508387

O time da UnB correu e marcou o tempo todo, mas não conseguiu derrotar a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Em partida semifinal da terceira divisão do basquete feminino, as gaúchas venceram por 45 a 33 e vão disputar o ouro com a Universidade Estadual de Maringá. A equipe de Brasília enfrenta a UniNorte, do Amazonas, pelo bronze. Os jogos serão neste sábado (8).

Bem postadas na defesa, as meninas da UnB conseguiam anular as principais jogadas ofensivas das adversárias. O problema estava no ataque. O time errava bolas fáceis debaixo da cesta e fazia arremessos precipitados. No segundo quarto, os erros pesaram e a equipe do Distrito Federal chegou a ficar 13 pontos atrás no placar. A parcial terminou com desvantagem menor: 24 a 16.

O terceiro quarto foi o melhor da UnB na partida. Na base da garra, o time empatou o jogo em 27 e perdeu duas chances claras de passar à frente. A máxima do futebol de quem não faz leva se aplicou à partida. O time da UFRGS acertou bolas de três após em contra-ataques e voltou a abrir vantagem.

“Sem dúvida perdemos o jogo pelos erros de ataque. O time foi aplicado taticamente, mas errou muitos arremessos”, lamentou técnico Joaquins Feitosa, o Major. A pivô Alessandra de Melo fez leitura parecida. “Nosso time foi muito afobado e desorganizado no ataque. Poderíamos ter vencido”, avalia a jogadora.

Texto: Hugo Costa

Tripla jornada

IMG_20141106_151557882Ana Kelly Silva estuda, trabalha e joga pela Universidade de Brasília. Referência no time de basquete que disputa os JUBs 2014, a ala-pivô faz pós-graduação na Faculdade de Educação Física e é do quadro técnico-administrativo da Diretoria de Esporte, Arte e Cultura (DEA/DAC). “É muito bacana ter essa vivência na universidade. Sempre quis ter vínculo com a UnB”, diz.

A atleta leva ao time uma experiência de 17 anos de basquete. “As meninas são muito legais e me receberam muito bem no time. Tento, de certa forma, segurar a ansiedade delas”, afirma. Para a reta final da competição, Ana Kelly está otimista. “Vamos com garra. Se acertamos a marcação e melhorarmos nossos arremessos, teremos boas chances”.

A UnB enfrenta a Universidade Federa do Rio Grande do Sul nesta sexta-feira (6). A equipe vencedora garante vaga na final.

Texto: Hugo Costa